terça-feira, 7 de julho de 2009

Início de julho difícil

O meu e o dele. Nossos corações batiam igualmente descompassados. Sim, era o fim. E independente do dia que passamos, a hora era aquela. Assim que ele fosse embora, levaria um pedaço de mim, da nossa história, nossos momentos, todos os planos que fizemos juntos e com tudo isso levaria o fim do nosso relacionamento. Viraria página de um livro bom. Em alguns minutos, a nossa história seria apenas mais uma entre todas existentes e as terminadas, a nossa seria mais uma fracassada. Quem tomou a difícil decisão, havia sido eu. Acreditei em coisas que independente de verdadeiras ou não, eu o amo, estamos juntos há tempo suficiente para merecimento de segunda chance. Afinal, eu mesma já errei, mas como o sofrimento da possibilidade de perder quem amamos nos faz pensar melhor, revi minhas prioridades, o que eu estava querendo para minha vida. Eu vi que não precisava de nenhuma pessoa ao meu lado, que não fosse meu namorado. Não há ninguém que me ature, me entenda melhor, me agrade, faça eu me sentir especial, amada, mande um buquê de rosas para a minha escola.
Depois de conceitos revistos, em alguns momentos pude desviar minha falta de atenção do claro vazio que ocupava a minha mente, eu estava procurando manter meu coração duro, quaaase feito de pedra, nisso vi o sofrimento no rosto dele, ele chorava, dizia que eu não podia deixar ele assim, que eu era a vida dele e que não podia perder a vida dele, enfim me disse todas as coisas que nós mulheres nos derretemos ao ouvir, mas eles só dizem isso em casos extremos e não todos ou quase todos os dias como adoraríamos.
Foi um dia difícil, era o nosso último juntos. Só eu podia mudar isso. E mudei. Não podia deixar o homem da minha vida. Não podia deixar as imagens de um futuro que vai acontecer, nós deitados em nossa cama, no nosso quarto em nossa casa. E enquanto isso, no quarto ao lado, lá estão nossos filhos, fruto de um amor que quase não iria perder a chance de acontecer.



Depois desse drama todo verídico, preciso da ajuda de VOCÊS, leitores.A história é o seguinte:

Tem um amigo meu que gostou de mim a vida toda, e ele se aproximou bastante do meu namô de uns tempos pra cá. E eu como uma grande desconfiada namorada, sempre pergunto pra ele, se ele está sabendo de algo do meu namô. Ele sempre nega, mas dessa última vez que perguntei ele não podia me negar. Mostrei todos os argumentos se ele me contasse, disse que não poderia continuar com alguém que estava me enganando e ele(meu amigo) queria ficar comigo pra valer. Aí ele me disse umas coisas, que sim, envolvem traição dele para comigo. E nisso terminei com meu namô, mas não disse quem contou. Quando eu e meu namô resolvemos conversar pessoalmente, ele me negou tudo o que fiquei sabendo. Disse que não precisava disso, que eu sou tudo pra ele, que eu satisfaço ele completamente, que não tem razão pra isso. E estou num misto horrível de dúvida e falta de confiança. Porque meu namô fica aqui em casa o dia inteiro, sai daqui tarde e com sono, até as vezes dorme aqui antes de ir embora. Sendo que o que fiquei sabendo acontecia depois que ele saía daqui de casa. No que devo acreditar gente? Ainda mais que quem me contou não tem um caráter de mentiroso, confio muito nele. E meu namô sempre se mostrou tão atencioso e dedicado ao nosso namoro que não dá pra entender. Juro que quase todo dia alguém elogia ele pra mim. Diz que ele é uma gracinha, muito fofo comigo, atencioso, prestativo, está sempre ajudando e blábláblá. Enfim, minhas família ama ele. O que mais me indignou é que se tudo fosse realmente verdade, ele enganou a mim e a todos muito bem. Mas agora estamos juntos, e está tudo bem. E se é verdade ou não, eu não sei mesmo. Mas independente de tudo, resolvi dar uma segunda chance.

P.S.: O que eu faço ?

9 comentários:

Stephanie disse...

Chorei com seu texto =(

Olha, eu acho que quem tem que decidir isso é você, aliás, só você, conhecendo seu namorado pra saber se pode confiar nele ou não. Às vezes a gente finge que não vê alguma coisa pra deixar do jeito que está, mas sabe que poderia acontecer. Do jeito que você descreveu seu namorado, eu acreditaria nele, e não no amigo. Mas quem sonhece ele é você, só você pode saber.

Beijos

Amanda disse...

O fim é sempre difícil, né? Mas o recomeço é sempre lindo e inspirador - mesmo assim, prefiro evitá-lo.
Quanto a sua pergunta, vou ser sincera. Acredito muito que devemos confiar em que está ao nosso lado. Não falo de namorado, mas de alguém que você ama e que te ama de volta. Se não existe a confiança, as coisas desandam e simplesmente não dá (há exceções), o fim se torna inevitável. Se vocês tem uma história tão bacana, reveja as atitudes dele até hoje: ele te respeitou? te tratou divinamente bem? foi paciente? foi cúmplice? foi seu amigo? te apoiou quando você precisou?

Pondere tudo isso e você mesma terá a resposta que, como a Stephanie falou, só você pode saber.

Boa sorte!
Beijos

Obs.: Eu acreditaria.

Philip Rangel disse...

Olha...primeiro agradeço sempre sua visita constante no entrando..

sobre sua paegunta...qm nao passou por isso ne???ate nos homens...eu tmb tenhu namorada...amo ela..mas sempre acontece isso ne..nao pq odiamos mas pq amamos...essa resp..so vc pode responder....

bjao

Dressa Ferreira disse...

Meu Deus! Que história! me emocionei aqui!
Poxa... eu não sei! Mas se você disse que ele fica o dia todo ai e tal.. como pode!? E vc também disse que seu amigo gosta de você, só resta saber se ele seria capaz de inventar isso né! Ai que a gente fica na dúvida =/
Espero que tudo dê certo e se esclareça! Beijos

Larissa disse...

Relaxe. Tudo vai se esclareceer.

;*

Mirela disse...

wooooww!!
Parece história de novela isso!
bom, já q vc perguntou, eu vou dar minha opinião, msmo eu sendo completamente estranha p vc...

passei por um momento de turbulencias e falta de confiaça com meu namorado tb, mas resolvi acreditar nele. Acho q se vc o ama de verdade e ele te garantiu q não mentiu, ntão acho que vale o risco. Investiga direito essa história, mas da uma chance sim...as vezes as pessoas falam d+...
;)

disse...

Eu entendi tudo pelo primeiro texto, mas foi bom você ter esclarecido no segundo. Sei muito bem como é isso. Esse ano, me disseram - indiretamente - que ELE estava ficando com a outra. E a primeira coisa que eu fiz, sem pensar, foi ficar brava, foi simplesmente parar de falar com ele, sem explicações. E ele foi tão fofo, ficou tão preocupado, que eu me rendi. Eu deixei o bico de lado. Não me importava de era verdade ou não, não naquela hora. Ele me perguntou se eu confiava nele, e eu disse "Eu preciso confiar". Porque não há relação que suporte se não houver confiança. E realmente não dá pra saber se ele te traiu ou não, mas se eu fosse você, esqueceria essa história. Mesmo que no fundo você tenha uma dúvida, não a escute. Porque o amor vale muito e a incerteza não é forte o bastante. Se ele te ama e você o ama, é o que basta. Na minha humilde opinião. Bjs.

Sofia disse...

Boa Sorte. Queria te pedir uma coisinha, eu postei sobre a Influência da Mídia lá no blog, o texto não ganhou o PostIt!, mas me dá a sua opinião ?
beeijos

All disse...

Realmente é difícil. passar por situação como essa sempre deixa uma pulguinha atrás da orelha.
Mas levando em consideração que você aceitou dar uma segunda chance e está tudo bem, você deveria esquecer isso e continuar. Porque de dúvidas e insegurança ninguém está livre, principalmente em relacionamentos. Mas quando se coloca na balança, geralmente o peso do amor fala mais alto!

Adorei os textos e o blog. Abraços!