sexta-feira, 24 de julho de 2009

O futuro, 30 anos e uma certeza

Bati a porta do meu quarto como nunca havia batido antes. Estava furiosa e irritada como nunca estive. O motivo? Meus pais não me levam a sério, sempre rola uma falta de respeito e de privacidade e não me acostumo com isso. Aliás não seria pra me acostumar mesmo, eu estaria aceitando a injustiça de braços abertos, jamais farei isso. E com toda a fúria e irritação do mundo, fechei meus olhos e desejei ser independente, ter a minha casa e não dever satisfação aos meus pais. Mais tranquilizada, abri os olhos. E nesse momento chato, por sorte meu sono veio e levou minha consciência com tudo, adormeci.


Acordo como quase todo dia, me espreguiçando ao máximo que consigo, esticando os meus braços e sinto algo ao meu lado, ou melhor alguém do meu lado na cama. Senti uma pontinha de egoísmo neste instante, sempre dormi em uma cama de casal inteira só pra mim, quem seria o intruso?
Assustada, me direciono, esfrego os olhos e olho fixamente. Me tranquilizo ao ver que é meu namorado ainda dormindo. Bocejo, fecho e logo em seguida abro novamente meus olhos e vejo que não reconheço o ambiente onde estou. Um quarto espaçoso, escuro com móveis claros e sofisticados. Totalmente o meu gosto, por segundos sinto tudo aquilo tão meu, tão a minha cara.

Então me levanto curiosa. Vejo um quadro na parede, semelhante a um que sempre via quando ia para a escola, na vitrine de um estúdio de foto e filmagem que um amigo meu tinha. É de um quadro de casamento, os noivos de mãos dadas e a noiva de cabeça baixa, de modo que não dá para ver o rosto. Dividindo particularmente meu gosto, acho o quadro lindo.

Me levantei da cama e encontrei uma porta no quarto, ou melhor que estava a descobrir, suíte. Porta adentro, vi que se tratava de um banheiro, espaçoso e quando abri o armário vi milhares de cremes, perfumes, hidratantes, como eu sempre gostei... Fecho o armário e me dou conta do espelho. E refletido nele vejo uma mulher bonita, amada e realizada. Consigo ver em meu rosto. E devo dizer, adorei o que vi, pele bem cuidada, cabelos hidratados. E com um misto de curiosidade e nervosismo olhei para minhas unhas. Agora sim, posso dizer que sou uma ex roedora de unhas. E na minha mão esquerda, lá vejo ela, linda, de ouro, bem grossa e brilhante, exatamente como meu namo...ops, marido gosta. Na hora em que pensei nisso, me toquei de que agora éramos apenas eu e ele, me toquei de que não estava mais na barra da saia da minha mãe, podia dizer que era independente e realmente ser.

De repente senti braços me entrelaçando, era ele me abraçando, meu marido. Só estava me desejando um bom dia. E nesse mesmo instante, ele desce um pouco a mão, deslizando-a pela minha barriga acariciando e me pergunta:

- Como está a nossa princesinha?

Fiquei assustada, insegura, foi um choque total pra mim. Será que seria uma boa mãe, poderia dar conta? E tive a certeza de que pensei alto, porque ele me disse:

- Por que agora não seria? Você sempre foi uma ótima mãe, o Bernardo é prova disso.

E logo pensei. Aaaah, eu tenho um filho e com o nome que eu sempre desejei dar.
Fiquei mais feliz ainda, estava numa vida que sempre sonhei. Só que para vivê-la, tive de pular etapas da minha vida, tive que deixar de vivenciar algumas coisas, sentir outras... E eu tinha certeza de que aquele era meu futuro, meu real futuro. Me toquei que tinha que vivê-lo no momento certo e não adiantar as coisas. Me concientizando disso, minha curiosidade acabou. Não queria mais ver nenhuma parte da minha casa, não queria ver meu filho pra ter que me despedir dele para só estar com ele novamente no futuro, não queria saber do meu emprego, nem nada, nada mais. Não queria ver mais nada daquela vida que não me pertencia ainda.
Então abracei meu marido e na mesma hora fechei os olhos rapidamente e desejei voltar a ser adolescente, morar com meus pais mesmo tendo que dar satisfação a eles. E o desejo voltou a ser realidade, agora sim tudo no seu devido lugar.

4 comentários:

@philipsouza disse...

incertezas e verdades hein...nessa so vc pode escolher...

bjao

Stephanie disse...

Perfeitooooo esse texto! Nossa, você escreve muito bem!
Me identifiquei muito com a história...

Beijos

Marina disse...

nossa amei ;o você realmente escreve bem. vou te seguir ta? :*

- Nessa ਏਓ disse...

Parabéens pelo texto.
É por ganhar esta edição do Postilt.
Seu texto ficou muito bom, não nega ter ganhado esta edição.
As vezes é bom sonhar com o futuro, mas o melhor seria se o futuro fosse realmente do jeito que imáginamos. :)

Beijoos :*